6 de janeiro de 2017

Celpa: modelo de gestão posiciona empresa entre gigantes do RH na Amazônia

celpa“Estamos entre as 48 melhores empresas para se trabalhar no Brasil e agora a quarta melhor para se trabalhar na Região Norte”. Nonato Castro, presidente da Celpa

“Tudo é um conjunto; as adversidades vêm, mas a gente vai superando com o apoio das chefias, do administrativo; afora o olhar do nosso cliente que é importante”. Sueli Alencar, assistente administrativo

A Centrais Elétricas do Pará (Celpa) está entre as melhores empresas para trabalhar na Amazônia. A empresa paraense, que gera empregos para 1.384 colaboradores, obteve a quarta colocação como melhor empresa para trabalhar na região. O forte modelo de gestão e valores pautados em confiança são características fortes da companhia que passa por um processo de transformação.

O presidente da Celpa, Nonato Castro, traduz a premiação como “a certeza de que estamos no caminho certo, porque são as pessoas que fazem a coisa acontecer”. Segundo o dirigente, há quatro anos a companhia estava quebrada, com R$ 740 milhões de prejuízos, em recuperação judicial, considerada a pior distribuidora de energia elétrica do Brasil, ou seja, com os piores indicadores de pesquisa.

Quatro anos depois, disse Castro, a empresa avançou 18%, obteve no último exercício R$ 670 milhões de lucro. “Estamos entre as 48 melhores empresas para se trabalhar no Brasil e agora a quarta melhor para se trabalhar na Amazônia”, disse. Para Nonato Castro esses resultados não aconteceram à toa. “Cuidar bem das pessoas, ter um modelo de gestão que contemple a capacidade dos colaboradores, que possa capacitar, motivar, dar condições para que eles possam se desenvolver e ir além. Favorecer, tratar bem as pessoas traz resultados rápidos”, assinalou.

A gerente de Recursos Humanos da companhia, Graça Monteiro, avaliou que investir no desenvolvimento dos colaboradores é uma prática que a empresa vem fortalecendo cada dia, e isso tem feito um diferencial grande devido o quadro em que a empresa se encontrava, quando foi adquirida pelo Grupo Equatorial Energia. A Celpa passa por um processo de transformação. Para isso se faz necessário o reforço do modelo de gestão, o qual é pautado em práticas aderentes à cultura e em valores amplamente divulgados e vivenciados na empresa. “Tivemos que trabalhar no sentido de trazer novamente confiança para o colaborador e líderes e vice versa”, disse, informando ainda que uma pesquisa interna aponta que 99% dos funcionários se orgulha de trabalhar na companhia.

Trabalhando há 15 anos na Celpa, a assistente administrativa, Sueli Alencar, disse amar seu trabalho, as pessoas, a visão da empresa, que tem como foco um novo modelo de gestão pautado nas melhores práticas de mercado. “Tudo é um conjunto. As adversidades vêm, mas a gente vai superando com o apoio das chefias, do administrativo. Fora o olhar do nosso cliente que é importante”, mencionou.