12 de março de 2018

Embrapii apresenta projeto para Manufatura 4.0 em evento na FIEAM

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou nesta quarta-feira (7), na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, a intenção de investir pelo menos R$ 20 milhões, nos próximos seis anos, em projetos na área de Manufatura 4.0. O evento homônimo foi realizado em parceria com a Coordenadoria de Tecnologia e Inovação, FIEAM, e atraiu empresários do Polo Industrial de Manaus (PIM), interessados no subsídio de até 1/3 sobre o valor total do projeto.

Apresentada pelo diretor de Operações da Embrapii Nacional, Carlos Eduardo Pereira, a proposta, segundo ele, busca promover a inovação da indústria, dar agilidade e flexibilidade na contratação e execução de projetos de PD&I e oferecer fluxo contínuo para contratação desses projetos, além de atender à demanda das empresas do PIM por inovação.

Ao abrir o evento, o vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, disse que a instituição acompanha muito de perto a rapidez com que a tecnologia vem provocando mudanças irreversíveis em todas as áreas de negócio, quebrando paradigmas e criando ameaças ou oportunidades para as empresas que estão atentas a esse movimento.

Segundo Azevedo, as empresas que não adotarem as tecnologias digitais terão muita dificuldade de se manter competitivas e, consequentemente, no mercado. Para contribuir com esse fortalecimento da indústria do Amazonas, o diretor adjunto da Coordenadoria de TI da FIEAM, Roberto Garcia, apresentou os planos de ação que serão desenvolvidos pela área, intermediando a promoção de pelo menos uma missão empresarial para busca de novas soluções tecnológicas.

A coordenadoria irá desenvolver pelo menos quatro eventos durante o ano, com foco em temas prioritários para a indústria, como Internet das coisas, Segurança e Defesa Cibernética; Cidades Inteligentes; Integração, Processamento e Análise de Grandes Volumes de Dados (Big Data) e Computação em Nuvem; Manufatura 4.0; Tecnologias de Informação e Comunicação Aplicadas a Indústria e Telecomunicações.

Com 42 unidades em todo o Brasil, a Embrapii tem a ideia de selecionar e financiar centros e grupos de PD&I (públicos ou privados sem fins lucrativos) com capacidade técnica para atuar nas demandas das empresas para soluções tecnológicas com ênfase em inovação.

A única unidade da região norte do país credenciada é o INDT (Instituto de Desenvolvimento Tecnológico), que atua em pesquisa e desenvolvimento de novos conceitos, produtos, serviços e soluções tecnológicas inovadoras.

“Temos a meta de investir no mínimo R$ 20 milhões em projetos ao longo dos próximos seis anos. Possuímos recurso para o desenvolvimento de soluções inovadoras em produtos e processos na área de Manufatura 4.0. Os projetos podem ser subsidiados em até 1/3 do seu valor total pela Embrapii”, explicou o diretor-executivo do INDT, Geraldo Feitoza.

Com foco na Manufatura 4.0, o evento trouxe um case de sucesso da empresa Salcomp, líder mundial em manufatura de carregadores de dispositivos móveis. A ideia do projeto, segundo o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, Franklin Magalhães, surgiu da vontade de crescer mais no mercado e gerar competitividade.

O objetivo da Salcomp, uma das primeiras beneficiadas pelo aporte da Embrapii, é desenvolver três produtos para um novo negócio. Para esses projetos, a empresa fez algumas premissas ao INDT, como não alterar o processo de manufatura, usar as linhas e equipamentos já existentes e certificação da Anatel.

“Nosso corpo técnico não é voltado para desenvolvimento de produto, nós não temos essa característica porque fazemos manufatura, pegamos um projeto e o executamos. Fazer um projeto diferente requer outros conhecimentos e práticas de mercado, que encontramos no INDT”, disse Magalhães.

O contato foi realizado direto entre a unidade de inovação (INDT), possuindo um processo desburocratizado, rápido e com garantia legal de até 33% de aporte ao projeto. Segundo Magalhães, a ideia é finalizar o projeto nos próximos nove meses.