8 de julho de 2015

Empregos em declínio no Amazonas

Por Cristiane Barbosa

O cenário no Amazonas é um dos mais desanimadores em termos de empregos. A queda acentuada na produção e no faturamento da indústria estão refletindo diretamente no nível de emprego.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que no primeiro trimestre de 2015, a taxa de desocupação no Estado chegou a 9,4%, bem superior aos 8,2% atingidos em igual período do ano passado. No cenário nacional, o número de pessoas desempregadas no Brasil chegou a 8 milhões no trimestre encerrado em março deste ano. Esse é o maior contingente de desocupados desde o início da pesquisa, em janeiro de 2012.

Esse resultado ocasionou uma queda no nível de ocupação, que passou de 56% no primeiro trimestre de 2014 para 55,5% no primeiro trimestre de 2015. Com isso, a população desocupada aumentou, passando de 128 mil no quarto trimestre/14 para 157 mil no primeiro Trimestre/15. Segundo o IBGE, no primeiro trimestre de 2015, os amazonenses eram 3,7 milhões de pessoas.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.