4 de maio de 2015

Empresário é contra a corrupção e a favor dos seus funcionários

Ricardo Semler, sócio majoritário do conglomerado Semco Partners e ex-professor de Harvard e do Massachusetts Institute of Technology (MIT), tornou-se um dos empresários brasileiros mais conhecidos no exterior nos anos 90 por aplicar em sua empresa princípios gerenciais que ficaram conhecidos como ‘democracia corporativa’.

 

Na Semco, os funcionários podem escolher seus salários, horário e local de trabalho, além dos seus gerentes. O sistema hierárquico rígido foi substituído por um regime em que todos podem opinar no planejamento da empresa. Há pouco tempo, a Semler voltou a ganhar visibilidade no Brasil e no exterior por dois motivos. Primeiro, porque o desempenho extraordinário de algumas empresas criadas por jovens empreendedores (como Facebook e Google) aumentou consideravelmente o interesse por práticas gerenciais inovadoras. Segundo, em função de um artigo polêmico publicado pelo jornal Folha de S. Paulo, em que, ao comentar o caso de corrupção na Petrobras, Semler defendeu que “nunca se roubou tão pouco” no Brasil.

“Nossa empresa deixou de vender equipamentos para a Petrobras nos anos 70. Era impossível vender diretamente sem propina. Tentamos de novo nos anos 80 e 90, até recentemente”, escreveu ele. Semler é filiado ao PSDB, mas o artigo acabou sendo usado por quem defende o ponto de vista do governo e do PT no escândalo. Ao comentar o episódio em entrevista à BBC Brasil, o empresário defendeu que a politização do debate sobre corrupção é contraproducente e que o escândalo da Petrobras e as repercussões do caso envolvendo a divulgação dos nomes de brasileiros com conta no HSBC da Suíça são sinais de que o país está mudando. “Pela primeira vez no Brasil temos gente rica assustada”, afirmou.

O empresário também defendeu um aumento do imposto sobre transmissão (herança) para os donos de grandes fortunas e disse que aceitaria pagar até 50%. “Isso não afetaria em nada a disposição do empresário em investir”, opinou. No Amazonas, o Programa Integra capacitou ano passada mais de 2,5 mil donos e funcionários de micro e pequenas empresas. E ainda forneceu para 750 empresas o selo de “Excelência em Gestão”, formalizando 500 empreendedores individuais e capacitando 250 empreendedores autônomos.

O pagamento das restituições começa em 15 de junho e vai até 15 de dezembro, em sete lotes mensais. Quanto antes o contribuinte tiver enviado a declaração com os dados corretos à Receita, mais cedo será ressarcido. Têm prioridade no recebimento pessoas com mais de 60 anos de idade, contribuintes com deficiência física ou mental e os que têm doença grave.

TED Talks com Ricardo Semler

 

E se seu emprego não controlasse a sua vida? Assista o TED Talks com o CEO brasileiro Ricardo Semler e comece a semana repensando. http://bit.ly/1ICRxax

Posted by Revista PIM Amazônia on Segunda, 6 de abril de 2015

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/05/150423_semler_entrevista_ru e http://portalamazonia.com/detalhe/noticia/programa-integra-qualificara-25-mil-empresarios-no-amazonas/?cHash=376362dd9e7ce2d67e810ad0a8b1098f