13 de janeiro de 2016

EUA aposta no PIM, apesar da crise

Dollarphotoclub_52477322

Os Estados Unidos perdem apenas para o Japão em investimentos no PIM (Polo Industrial de Manaus), com US$ 738.69 milhões aportados durante o acumulado de janeiro a agosto de 2015, conforme dados fornecidos pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O montante correspondeua 21,9% dos aportes estrangeiros da indústria incentivada da capital amazonense no período.

Embora a quantia tenha diminuído em relação aos mais de US$ 1 bilhão injetados há um ano – um movimento previsível em ano de crise –, isso não significa que os EUA perderam interesse pela Zona Franca de Manaus (ZFM).A renovação dos incentivos do modelo para até 2073, conquistada no Congresso em 2014, ensejou pelo menos um projeto de expansão fabril que se concretizou na reta final deste ano. E ele veio da segunda maior empresa norte-americana do PIM

Com US$ 54.43 milhões injetados em suas operações locais nos oito meses iniciais de 2015 e mais de US$ 387.37 milhões imobilizados em suas unidades instaladas na região, a 3M inaugurou mais uma planta em Manaus em 2 de dezembro. Atuante no polo químico, com produção defitas adesivas para uso industrial e doméstico, blocos post-it, fitas elétricas, películas refletivas para veículos e respirador facial para segurança do trabalho, entre outros itens, a firma injetou R$ 100 milhõesno empreendimento, que conta com 16 mil metros quadrados de área construída em um terreno de 264 mil metros quadrados.

Para ver a matéria completa compre esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.