13 de janeiro de 2014

Indústria naval não seria a mesma

Por Margarida Galvão

 

O Estaleiro Bons Amigos, Construções e Reparos Navais, situado no bairro Educandos, zona sul de Manaus, é um dos 72 empreendimentos do setor, entre pequenos, médios e grandes, que formam a indústria de construção navaldo Amazonas. O construtor Antônio Mesquita está há 22 anos no ramo fabricando barcos, empurrador e balsas para uma clientela diversificada. Anteriormente foi armador, possuía uma frota de três balsas e dois empurradores, que foram vendidos quando resolveu migrar para o ramo da construção, que se mostrava próspera. Na opinião do líder do estaleiro, como se identifica, sem a criação da Zona Franca de Manaus (ZFM), o polo naval do Estado não estaria melhor em relação ao que se encontra hoje. De acordo com Antônio Mesquita, uma das causas do desenvolvimento da região foi a ZFM, que abriu as portas para a importação, exportação, construção, financiamento, incentivo governamental, além de ter atraído mais cérebros para a região. “Até então, tinha gente inteligente aqui, mas a maioria só sabia plantar banana e macaxeira no interior”, mencionou, assegurando que o desenvolvimento do Estado veio com a ZFM em todos os sentidos. “Tanto na parte de navegação como de construção naval, que passou a ter um novo horizonte diante dos negócios surgidos com as novas empresas que vieram para cá”, completou, frisando trabalhar por empreitada, modalidade em que o prestador de serviço é quem contrata a mão de obra.

 

Para ver a matéria completa garanta a sua Revista PIM! Já nas bancas.