28 de maio de 2015

Investimento japonês despenca em Manaus

Por Jhemisson Marinho

A crise é real. E os japoneses deram provas disso em Manaus, no último ano. Juntas, as companhias do gigante asiático reduziram em US$ 1,5 bilhão os investimentos no setor industrial da cidade – valor maior do que todo o investimento norte-americano, sul-coreano e dos Países Baixos, somados.

Os números, por si só, se revelam preocupantes, uma vez que o Japão tem o maior número de fabricas no Polo Industrial de Manaus (PIM), com 37 indústrias, seguido de perto por Estados Unidos (34) e, mais atrás, pela Holanda (12). Em 2014, os japoneses investiram US$ 931 milhões em capital amazonense, de acordo com dados da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O valor ainda é o maior entre todos os países que investem na cidade, mas foi a primeira vez desde 2008 que o aporte asiático ficou abaixo de US$ 2,4 bilhões, com uma queda de 64%.Posto de outra forma, nos basta lembrar que o valor investido pelas companhias japonesas, um ano antes, era 40% de tudo o que foi injetado pelas empresas internacionais na indústria de Manaus. Ou seja, de cada US$ 10 de investimento estrangeiro, US$ 4,47 era dinheiro japonês.

Já no ano passado, a participação nipônica caiu bruscamente, para US$ 27%. Em termos mais simples, significa que, de cada US$ 10 investidos por empresas do exterior, US$ 2,76 vinha de companhias do Japão. Em nota, a Suframa explicou dois motivos para a queda dos investimentos de capital japonês. O primeiro “diz respeito a uma questão contábil, em decorrência da alteração da origem de capital de algumas empresas, transferindo-o para outros países investidores”.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.