28 de novembro de 2013

Mão de obra para o fim de ano: Contratações em ritmo lento

Embora o cenário econômico não esteja nada atrativo para negócios em 2013, abaixo do previsto no início do ano pelos dirigentes de classe do Polo Industrial de Manaus (PIM), as empresas do Distrito Industrial ainda esperam contratar neste fim de ano, tradicionalmente um período de aquecimento para o setor. A estimativa de geração de postos de trabalho, contudo, é de 3.000 vagas, a metade da marca do ano passado (7.000 empregos). O polo eletroeletrônico deve ser o principal segmento a demandar mão de obra temporária – modalidade de contratação prevista pela Lei 6.019 – para atender os pedidos do comércio no fim de ano. A expectativa dos fabricantes de bens finais era que neste ano houvesse um crescimento em torno de 5 % no faturamento do PIM, em dólares, em relação a igual período do ano passado, o que não deverá acontecer por conta do baixo nível de produção de alguns setores.

De acordo com o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, o segmento de duas rodas – em especial o de motocicletas – continua sofrendo muito em razão do acesso ao crédito e nesse ano deverá fechar abaixo do resultado obtido em 2012, quando o PIM fabricou 1,7 milhão de unidades. Quanto às linhas de produção de TVs, o dirigente avalia que a marca deverá ser igual a do ano passado: em torno de 14 milhões de aparelhos produzidos. A novidade fica por conta da febre do consumo dos tablets, item cuja produção continua crescendo bastante e deverá ter um volume dez vezes maior que a alcançada em 2012.  “No ano passado, foram fabricados 200 mil unidades do produto contra 2 milhões previstos em 2013”. O dirigente ressalta que as projeções referentes ao comportamento dos setores são baseadas na atual realidade de mercado, que está sendo abalado pela invasão de produtos importados, principalmente da Ásia.Leia a matéria completa na edição 43 da Revista PIM.

 

Redação da Revista PIM – Por Margarida Galvão