24 de janeiro de 2015

Mercado espanhol mantém nível de investimentos

 

Por Jhemisson Marinho

A indústria amazonense recebeu pouco mais de US$ 210 milhões em investimento espanhol nos últimos seis anos. O número é menos de 10% do que o Japão, sozinho, investiu apenas em 2013 no setor industrial de Manaus, mas suficiente para colocar o país europeu entre os médios investidores no Polo Industrial de Manaus (PIM).

As informações são oriundas de dados da Superintendência da Zona França de Manaus (Suframa). No fim de 2013, a Espanha terminou o ano como o 13º maior investidor estrangeiro na indústria local, em valores contabilizados em dólares – posição não muito diferente de seis anos antes. Mas, se considerarmos o número de empresas com capital externo, as 12 companhias espanholas só perdem para os Estados Unidos (38), Japão (38) e Alemanha (13).

O consultor econômico Ailson Nogueira explicou que as indústrias com capital espanhol têm características semelhantes às holandesas, como o potencial para os chamados efeitos germinativos de ligação para frente e para trás, ou seja, uma relação de compra de matéria prima de outras atividades, bem como o fornecimento de insumos para outros setores.

“A Espanha participa (com investimento em Manaus) nos segmentos eletroeletrônico, químico, duas rodas e termoplásticos”, afirma o economista. No setor químico, por exemplo, o país europeu tem investimentos na White Martins, maior empresa de gases industriais e medicinais da América do Sul, onde atua em nove países. Vale lembrar que a empresa, contudo, tem controle norte-americano.

 

Para ver a matéria completa garanta a edição 58 da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.