24 de abril de 2015

Os caminhos da Logística no Amazonas

Por Margarida Galvão

A logística no Amazonas é totalmente diferenciada do que se pratica nas demais regiões brasileiras. São oferecidos três modais para atender as empresas: o aéreo, o rodo fluvial e a cabotagem. Enquanto o aéreo é feito por aeronaves cargueiras e/ou mistas (cargas e passageiros), em uma legislação e modalidade próprias, a cabotagem é realizada por navios nos principais portos brasileiros, inclusive de bandeiras estrangeiras.

Algumas empresas de transporte operam este modal levando produtos acabados da capital do Amazonas e trazendo cargas diversas para o comércio e insumos às indústrias do Polo Industrial de Manaus (PIM).

O rodo fluvial se dá em função da geografia da região, que não permite uma ligação rodoviária com os demais Estados, logo, o que poderia ser feito por rodovias (estradas) se dá pelo sistema rodo fluvial, uma junção do rodoviário com o fluvial (uma parte por água, outra por estrada). O transporte rodo fluvial e a cabotagem respondem por 90% de tudo o que entra e sai na região (carga doméstica) e os 10% restantes são destinados ao transporte aéreo, que responde pela movimentação das cargas de maior valor agregado, de moda, indumentária, celulares, relógios, CDs, entre outros.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.