16 de fevereiro de 2016

PIM se prepara para demitir mais

Como no último trimestre de 2015 a maior das empresas não reforçou seus quadros de pessoal – graças à baixa demanda de pedidos –, o presidente do sindicato laboral, Valdemir Santana, disse que não houve um grande número de trabalhadores demitidos entre 1º e 15 de janeiro. Mas o dirigente não descarta a possibilidade de que isso venha a acontecer ao longo do mês, em virtude do encerramento de alguns contratos temporários e do panorama da economia.

De acordo com o sindicalista, em virtude do cenário de crise, a grande maioria dos contratos de trabalho realizados hoje no PIM é de tempo determinado – em sua maioria de seis meses. Passado esse período, se a produção se mantém em níveis desejáveis, as empresas fazem novo contrato. Caso contrário, despedem o trabalhador. Na primeira quinzena de janeiro, o setor de homologações do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas homologou 580 demissões. A maioria dos desligamentos veio das fabricantes de condicionadores de ar Climazon Industrial e a Whirlpool.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.