16 de fevereiro de 2016

Sem horizonte para a BR-319

Criada pelos militares em 1976, com o objetivo de ligar Manaus ao restante do país, a estrada tem 885 quilômetros de extensão – 820,1 deles no Amazonas e os 64,9 restantes em Rondônia. Muitos pontos da estrada estão em péssimo estado de conservação e precisando urgentemente de revitalização. Mas as obras em um segmento de 400 quilômetros – situado entre Humaitá e a capital amazonense – estavam embargadas nos tribunais a pedido do Ministério Público, embasado em relatório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que apontava irregularidades e danos ambientais no referido trecho.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.