26 de maio de 2015

Tecnologias que ajudam a melhorar a concentração

Se você está desconcentrado ou procrastina no trabalho, isso pode não ser sua culpa

 

Pesquisas recentes indicam que a os seres humanos estão tendo cada vez mais dificuldade em se desligar de estímulos externos e internos. E isso está sendo causado pelo abuso da tecnologia. A professora Gloria Mark, do Departamento de Informática da University of California, em Irvine, nos Estados Unidos, disse que e-mail, mídias sociais, notificações e várias outras distrações digitais estão destruindo a capacidade do ser humano de focar em tarefas individuais.

“Em 2004, monitoramos trabalhadores do setor de informação com cronômetros e medimos cada ação (que faziam)”, disse Mark. “Eles mudavam seu foco de atenção, em média, a cada três minutos. Em 2012, observamos que o tempo gasto na tela de um computador antes de os trabalhadores transferissem seu foco para outra tela era 1 minuto e 15 segundos”. “No verão de 2014, a média foi 59,5 segundos”, disse a especialista.

Tecnologia no trabalho: Bom ou ruim?

Acadêmicos e cientistas estão cada vez mais interessados nos efeitos da tecnologia sobre o ambiente de trabalho. Há relativamente poucos estudos a respeito do impacto sobre o trabalho de sites como Twitter e Facebook ou de games como o Candy Crush – que buscam, deliberadamente, manter usuários em conexão constante. Antropólogos culturais como a professora Natasha Dow Schull, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), destacam o trabalho de Mihaly Csikszentmihalyi, que há várias décadas criou o conceito de flow (que significa: fluxo). “Tem a ver com uma sensação de controle, de podermos escolher se somos atraídos por algo envolvente, que não vai além de nossa capacidade nem nos deixa confusos e frustrados porque não sabemos como fazer (essa atividade)”, explicou Schull. “Para obter fluxo, sua atividade precisa se adequar à sua habilidade. Mas descobri, no meu próprio trabalho, que o fluxo não depende apenas de mim e é preciso reconhecer que ele pode ser afetado pelo ambiente”.

Caminhadas no Escritório

O presidente de uma fábrica de esteiras para caminhar, a Lifespan Fitness, comentou que há cada vez mais estudos demonstrando que caminhar no mesmo lugar pode trazer benefícios para a mente. “Um estudo canadense recente revelou uma conexão entre mesas acoplacas a esteiras para caminhar e melhorias na memória e na concentração”, disse Peter Schenk. “Outro estudo investigou a relação entre mesas com esteira e detalhismo. E um estudo da University of Minnesota que acabou se tornando um importante ponto de referência demonstrou a conexão entre a mesa com esteira e aumentos na produtividade”, ele acrescentou.

Algumas técnicas para melhorar a concentração chegaram ao mercado há alguns anos. Entre elas, a chamada Técnica Pomodoro, criada pelo italiano Francesco Cirillo na década de 80. Seu objetivo permitir um uso eficiente do tempo aliado a concentração máxima. A pessoa programa um relógio com alarme para tocar dentro de 25 minutos. Cada período de 25 minutos equivale a um pomodoro (em italiano, tomate). É possível que sejam necessários vários pomodoros para que um projeto seja terminado, mas cada pomodoro deve ser completado sem interruções ou distrações. Entre um pomodoro e outro, a pessoa pode fazer uma pausa de 5 minutos. A ideia é aumentar a concentração, alcançar um objetivo em estágios e completar o trabalho, evitando que a tarefa se torne pesada demais.

Outro recurso disponível hoje são uma série de Apps que evitam distrações, como FocusMask, OneFocus, Concentrate, B-social e SelfControl. Elas funcionam ao bloquear, temporariamente, websites e outras Apps. Pesquisadores estão esperançosos que, apesar do impacto negativo da tecnologia sobre nossa capacidade de concentração, experimentos com serviços, softwares e outros aparelhos criados para melhorar nossa atenção tragam resultados positivos.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/05/150524_technology_focus_work_mv