13 de fevereiro de 2015

MERCADO UNIVERSITÁRIO DE MANAUS É ESTRATÉGICO

Por Jhemisson Marinho

A economia é uma das maiores do País, o mercado tem enorme potencial de expansão e a cidade ocupa posição de destaque na Região Norte. Estes e outros fatores atraíram – e continuam atraindo – investidores de fora do Estado para o mercado da Educação Superior em Manaus.

Em quase uma década e meia, o número de instituições particulares dobrou, fator que atraiu os principais players de atuação nacional para o Estado. Hoje, Manaus é apontada por gestores da educação como mercado estratégico no País. O movimento, relativamente novo no mercado manauara de Ensino Superior, favoreceu a aquisição de empresas locais por grandes players do setor, que ganhou novo fôlego no último ano.

Dois processos de aquisições representam bem o que tem acontecido neste mercado. Em uma das negociações, o grupo norte-americano DeVry comprou a Faculdade Martha Falcão (FMF), em setembro de 2014. A instituição já estava presente no Brasil nos Estados da Bahia, Paraíba, Pernambuco, Ceará e Piauí. “O Amazonas é o maior Estado do Brasil, berço da Zona Franca de Manaus (ZFM), sendo uma referência para as regiões Norte e Nordeste.

A FMF vai expandir a oferta de cursos em Saúde e Engenharia, áreas onde outras escolas da DeVry Brasil já atuam com eficiência”, disse o diretor-presidente da DeVry Brasil, Carlos Alberto Degas Filgueiras, em texto publicado pela unidade de João Pessoa. A coordenadora acadêmica da Martha Falcão-Devry, Helena Rosa, explica que a Devry fez a opção de atuar, inicialmente, no Nordeste, depois no Norte para, em seguida, ir às outras regiões.

Para ver a matéria completa garanta esta edição da Revista PIM Amazônia, ou faça sua assinatura.